3 Dicas Preciosas para lucrar importando de roupas da China 3 Idéias para importação promissora com vestuário da China

3 Dicas Preciosas para lucrar importando de roupas da China

3 Dicas Preciosas para Lucrar Importando Roupas da China

O setor de vestuário voltou a crescer no Brasil após um período de crise. Entre 2015 e 2016 o varejo caiu 11% em volume, mas em 2017 esse valor conseguiu ser recuperado. Já em 2018, estima-se que o mercado do setor de roupas cresceu cerca de 6%.

Globalmente, a China permanece sendo a maior força por trás do desenvolvimento da indústria têxtil. Não somente as empresas chinesas crescem a cada ano como cada vez mais marcas, como Nike e Adidas, produzem suas peças na China.

Tendo isso em mente fica fácil entender porque as importações brasileiras de vestuário da China só aumentam, crescendo mais de 100% ao ano. Segundo dados divulgados pela ABIT (Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção) em volume as importações de roupas chinesas alcançaram 6,8 mil toneladas por mês em 2017, contra 3,4 mil toneladas por mês de 2016. Além disso, cerca de 80% das importações de roupas no Brasil são de origem chinesa.

Isso acontece devido à diferença de preço exorbitante entre as roupas brasileiras e às da China, tornando muito lucrativo importar. A idéia já se popularizou, tanto entre os consumidores que querem economizar em peças para uso próprio, como entre os revendedores que, buscando expandir seus negócios ou empreender, veem na China a oportunidade que necessitam.

É possível adquirir peças que valem no mercado nacional até o triplo do preço pago na China. Por isso, mesmo que suas peças sejam taxadas pela alfândega brasileira, o retorno que você terá no momento da revenda sempre cobre todos esses gastos e ainda sobra margem de lucro.

Uma forma muito eficiente de planejar todos os custos da importação e certificar-se de estar fazendo o melhor negócio é a contratação de um serviço de consultoria em importação.

O consultor é o profissional que trabalha localmente para garantir as melhores negociações, no idioma nativo e com propriedade cultural para conseguir as melhores barganhas. Além disso, o consultor pode ir até a propriedade do fornecedor e verificar que as roupas são de qualidade e que toda a documentação necessária será providenciada. Dessa forma, seus produtos não correm nenhum risco ao chegar no Brasil.

Ficou interessado em importar roupas? Te daremos o caminho. Confira a seguir 3 dicas preciosas para lucrar importando roupas da China.

1 – Invista em roupas femininas para garantir maior saída

Estudos recentes realizados pela Nielsen apontam que, após cobrir gastos essenciais, 28% do salário das mulheres é destinado a roupas novas, tornando esse segmento de vestuário o menos impactado pela crise econômica.

Ao avaliar o perfil dos consumidores de roupas de acordo com o gênero, o IEMI (Instituto de Estudos e Marketing Industrial) constatou que 58% são mulheres e 42% homens. Já a faixa etária está concentrada entre os 25 e 44 anos, correspondendo a aproximadamente 63% dos consumidores.

Além disso, a moda feminina possui vários nichos diferentes de comércio, como moda gestante, social, alternativa e até gospel. Explorar essas possibilidades pode acabar segmentando sua marca para um grupo específico e, com isso, fidelizar suas clientes.

2 – Foque em roupas sem marca e crie a sua própria

Pensando em importação empresarial, é recomendável importar roupas sem marca. As marcas possuem sua própria logística de importação e, ao competir com elas, isso pode ser pouco viável e abaixar muito a margem de lucro, principalmente considerando os impostos brasileiros.

Na China existem muitos produtores de roupas e é possível comprar tanto diretamente das fábricas quanto de centros atacadistas. Importar roupas mais populares, onde o apelo seja o preço e a alta rotatividade, com menor valor agregado, possibilita a criação de uma marca popular, voltada ao grande público e ao atacado.

Já a importação de roupas mais sofisticadas, de excelente qualidade, com embalagens personalizadas, torna possível a criação de uma marca própria de valor agregado, que irá diferenciar seu empreendimento dos demais. Essas escolhas vão depender de seus objetivos enquanto importador.

3 – Certifique-se de importar os tamanhos corretos

Os asiáticos, em geral, são mais magros e possuem uma estatura menor do que os brasileiros. Para evitar comprar roupas fora do padrão do seu consumidor, converter os tamanhos chineses para os moldes brasileiros é essencial.

Especialistas no assunto recomendam que a seguinte conversão seja utilizada:

CHINA BRASIL
S (Small) Infanto-Juvenil
M (Medium) PP (Extra Pequeno)
L (Large) P (Pequeno)
XL (Extra Large) M (Médio)
XXL (Extra Extra Large) G (Grande)

Na dúvida, faça uma média do tamanho de seus principais clientes e entre duas medidas (P ou M por exemplo) sempre escolha o tamanho maior.

Esperamos que, munidos destas dicas, seja mais simples e lucrativo importar roupas da China. Fiquem atentos para os próximos artigos!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para cima