Como evitar problemas em uma importação

Como evitar problemas comuns em uma importação

Tem havido muita conversa sobre questões alfandegárias que você pode encontrar quando quiser trazer itens para o Brasil.
Este tópico entrou especialmente em foco na época da Copa do Mundo e das Olimpíadas no país. Muitos equipamentos precisavam ser importados naquele momento.
Além disso, o número de organizadores e, mais tarde, os participantes e espectadores dos jogos estavam prestes a entrar no país, o que tornou-se um problema muitas vezes e levantou questões acerta do assunto.

Obstáculos que você poderá evitar e como evitar problemas em uma importação

O Brasil tem algumas políticas aduaneiras muito rígidas. Além disso, o preço do imposto é extremamente alto. Isso se deve à estratégia do governo de melhorar a produção interna e a compra de produtos nacionais. Portanto, tudo o que entra no Brasil tem três questões para lidar:
• Preço;
• Transporte;
• Como evitar o pagamento do imposto.

Guia de importação – Preço

Como mencionado anteriormente, o preço do imposto é muito alto. Ele corresponde ao preço original do produto, às vezes.
Por causa disso, o preço de alguns equipamentos no Brasil pode ser quase o dobro do que você pagaria nos Estados Unidos.
Portanto, se você está pensando em importar, seria prudente verificar o preço do item que te interessa comprar e compará-lo ao preço total, juntamente com o quanto você obterá de lucro com o valor total da mercadoria.
Dependendo da quantidade de itens importados, não valerá a pena.

Guia de importação – Transporte

Ainda sobre a questão dos impostos… O Brasil passou por várias fases tentando aumentar a porcentagem de itens pelos quais o imposto é cobrado.
Dois dos principais problemas que enfrentaram foi a corrupção e o desinteresse geral dos funcionários em fazer valer a carga tributária.
O Brasil não é estranho aos problemas da corrupção. Costumava se espalhar tanto que você poderia subornar os funcionários para não ter que pagar a taxa do serviço.
Agora, para evitar que isso aconteça, é exigido o CPF (Cadastro de Pessoas Físicas), no caso de importação de indivíduo para indivíduo, e o CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica) no caso de empresas.
Vamos ver como eles funcionam:
Cada um dos dois contém o nome, endereço e número de contribuinte do destinatário, uma vez que é o destinatário quem é obrigado a pagar a taxa do imposto.
Agora, antes que você possa pegar seu pacote, já é requerido ter efetuado o pagamento da taxa alfandegária. As informações são coletadas por meio do CPF e do CNPJ.
Além disso, as empresas de navegação começaram a exigir que o destinatário pague a taxa alfandegária antes do envio da encomenda. Dessa forma, eles garantem que o pacote liberte a alfândega o mais rápido possível.

Como os brasileiros tentaram encontrar uma solução alternativa

Os brasileiros não seriam brasileiros se não encontrassem uma maneira de “melhorar” essa questão do pagamento das taxas da alfândega.
Lembra quando falamos sobre desinteresse em fazer cumprir o legislativo? Bem, os correios brasileiros entregam os pacotes enviados do exterior. Os importadores encontraram uma maneira de evitar o pagamento de impostos pedindo para que os produtos fossem enviados para o correio local.
Uma vez que o pacote chegasse, o estabelecimento local seria encarregado de coletar a taxa. No entanto, o Brasil é um país vasto, com muitos postos de correios e alguns deles estão localizados em cidades pequenas, onde todo mundo conhece todo mundo.
Da mesma forma, alguns funcionários não se importavam com a aplicação da lei alfandegária e apenas entregavam as encomendas. Isso significava que o posto local não cobrava a taxa exigida, de modo que o país ainda estava perdendo dinheiro.
Depois de ter descoberto como os funcionários dos Correios lidavam com os pagamentos alfandegários exigidos, o governo fez uma pequena mudança no processo de entrega e coleta de impostos.
Antes, a alfândega calcularia a taxa de imposto de acordo com os dados do CPF e do CNJP. Eles informariam aos Correios o valor do imposto que deveria ser cobrado.
Ainda assim, eles não rotulariam o pacote com CPF e CNJP. Hoje em dia, cada pacote deve ter um rótulo para liberar a alfândega. Nenhuma parcela sem ela deve ser entregue nos Correios.

Como evitar o pagamento do imposto

Sem práticas ilegais, não há mal algum em economizar o máximo de dinheiro que puder.
Mesmo que a trela no pagamento do imposto tenha sido encurtada, desta vez existem meios legais para não pagar o imposto de importação. De fato, resumimos duas situações em que você pode evitar pagá-lo.
Lembrando que vale apenas para quem viaja para o exterior ou quem é do exterior e está trazendo mercadorias.
Dependendo de que tipo de visto o Brasil emitiu, se você tiver um desses dois, poderá trazer itens com você sem pagar impostos para eles:
• Visto permanente;
• Visto temporário;
• Cidadão brasileiro retornando.

Visto permanente e cidadão brasileiro retornando

Se você tem um visto permanente ou se é um cidadão brasileiro que retorna ao seu país de origem, pode evitar pagar o imposto devedor, se cumprir as duas seguintes regras:
• Você está fora do país há mais de um ano;
• Você não passou mais de 45 dias no Brasil no último ano antes de voltar definitivamente.

Visto temporário

Quando você é portador de um visto temporário, seu plano é não ficar no país para sempre. Portanto, você pode declarar a duração da sua estadia (em Português Termo de Responsabilidade) e você estará isento do pagamento de imposto de importação em seus artigos para este período.
No caso de permanecer ilegal, você vai ser cobrado a taxa mais multas por não deixar o país a tempo. Ainda assim, este termo pode ser encurtado ou estendido no caso de necessidade.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.