Como funciona a importação no Brasil

Como funciona a importação no Brasil


Como funciona a importação no Brasil, primeiro identifique os fornecedores confiáveis no exterior:
Procurar por fornecedores com preços acessíveis e com qualidade superior a do mercado interno, e claro verificar se é confiável. Você tem a opção de ir pela internet, e na hora de enviar o câmbio tome cuidado e siga algumas regras.

Habilite a sua empresa no radar/siscomex
A habilitação é algo exigido pela Receita Federal do Brasil em todas as empresas e pessoas físicas que querem mexer com importação ou exportação. O RADAR – Registro e Rastreamento da Atuação dos Intervenientes Aduaneiros – o registro é feita pela receita federal do Brasil.
Ao contrario de antigamente, habilitar-se no radar é muito mais fácil e dinâmico, a pessoa ou empresa interessada pode inscrever-se através do Portal Único Siscomex onde terá uma certificação digital.
Qual o objetivo do radar? – Unir informações das mercadorias no comércio exterior, importadores e exportadores, monitorando o comportamento com a mercadoria e os limites de atuação, impedindo extravio e contrabandos.

Os tipos de importação no Brasil
No Brasil a importação é divida em três possibilidades:
• Importação Própria
• Importação por conta e ordem
• Importação por encomenda

Importação Própria: O próprio distribuidor do produto no mercado interno promove a importação. O mesmo gerencia o processo de qualificação e o desembaraço aduaneiro, esse tipo de tipo de importação é muito utilizado por empresas que querem por o processo de compra no exterior.

Importação de conta e ordem ou importação por encomenda: As duas são aquelas que o importador não cuida das etapas do processo, o importador contrata uma empresa que cuida das etapas de importação e entrega a carga já liberada no Brasil mediante um contrato vinculado a Receita Federal.
Esses dois são utilizados por empresas que querem focar no próprio negócio de distribuição e entregar as inúmeras exigências no Brasil para empresas especializadas.

Os quatro pilares da importação
Para gerenciar um processo de importação devem seguir esses quatro pilares importantes:
• Diagnóstico Administrativo
• Planejamento Logístico
• Monitoramento Operacional
• Execução Operacional

Cada um desses pilares tem exigências e cuidados especiais que devem ser seguidores.
Diagnóstico administrativo: informações levantadas sobre a classificação fiscal, exigências administrativas, obrigações de licenciamento e registro da carga tributária. Esta etapa deve ser pesquisada antes do fechamento comercial.


Planejamento logístico: Os prestadores de serviços junto ao importador devem organizar o embarque da mercadoria, optando entre aéreo ou marítimo. Esse pilar administra a prontidão da carga, frete e do seguro internacional, cuidando do transporte de origem e destino.

Monitoramento Operacional: O importador deve acompanhar o embarque até o aeroporto de destino, essa etapa é realizada junto ao agente da carga e com o despachante aduaneiro.

Execução Operacional: O importador deve confirmar a chegada da mercadoria e realizar as obrigações da alfândega.

Os mecanismos de Proteção adotados pelo governo

Uma burocracia alta, aumento do preço em dólar, exigências aduaneiras e administrativas, são itens da proteção à indústria nacional. No Brasil realizar negócios não é fácil, o país tem um alto nível de proteção alto se comparado com qualquer outra nação. Porem, ainda é possível e bem lucrativo se efetuado de maneira correta, mesmo em modelos mais complexos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para cima