O que o brasil compra da coreia Guias de compras na Coréia do Sul

O que o brasil compra da coreia

A República da Coréia ou simplesmente Coréia do Sul ocupa a metade sul da península coreana, um prolongamento do continente asiático localizado entre a China e o Japão. O país tem território de 99.585 km² e aproximadamente 48,2 milhões de habitantes. Sua economia é sólida e desenvolvida, o país investe fortemente em tecnologia, o que resulta em produtos de alta qualidade com preços competitivos.

Importar mercadorias da Coréia do Sul pode ser uma grande chance para alavancar seus negócios, por isso preparamos este guia de compras com produtos que representam uma boa oportunidade de investimento.

O que o brasil compra da coreia Homens esperando para embarcar no trem na China

Economia sul-coreana

A Coréia do Sul teve um crescimento econômico impressionante nos últimos anos. Em 1963, o PIB per capita era de U$ 100,00, valor comparável aos países em desenvolvimento. Em 2004, pouco mais de quarenta anos depois, o PIB per capita alcançou U$ 13.809,00. A economia continuou crescendo e em 2017 o PIB per capita foi de U$ 38.300,00.

Atualmente a Coréia do Sul é 6ª. economia mais complexa do mundo. As exportações possuem um forte papel na economia sul-coreana, sendo que o país é a 5ª. maior economia de exportação mundial. Circuitos integrados e microconjuntos eletrônicos atualmente lideram as exportações. Automóveis e peças automotivas e a construção naval também têm um papel importante.

 

Produtos Coreanos

O que o brasil compra da coreia Posters de comunismo espalhados pelas cidades da China

Eletrônicos

Sem dúvida os eletrônicos possuem um papel de destaque na indústria coreana, tanto que a Coréia é responsável pela produção de 5% de todos os bens eletrônicos do mundo. O país possui empresas de destaque como a Samsung, LG e Hyundai, que uniram seus capitais ao investimento estrangeiro, investindo em pesquisa e aprimoramento, atingindo um alto patamar tecnológico. No caso da fabricação de chips de memória de alta capacidade, a Samsumg Eletronics e outras empresas coreanas tomaram a liderança do mercado das empresas japonesas e norte-americanas. Os componentes eletrônicos, especialmente os semicondutores, são responsáveis por 40% da indústria coreana. Já os telefones celulares e equipamentos de comunicação por rádio são responsáveis por 25% desta indústria.

Os aparelhos eletrônicos que se destacam são: celulares, tablets, computadores, televisores, aparelhos de blue-ray, rádios, relégios, entre outros.

 

Automóveis e Peças Automotivas

O setor automobilístico também é importante na economia sul-coreana. Este setor teve início voltado à exportação e começou a ganhar destaque nas décadas de 70 e 80 com a Hyundai. No fim da década de 80 surgiram outras indústrias como a Kia Motors, a Daewoo e a Sangyong. Em 2004, a Coréia do Sul fabricou 3,4 milhões de veículos automotivos, tornando-se a 6ª. maior fabricante de carros do mundo.

 

Construção Naval

Este setor ganhou destaque nas décadas de 70 e 80 quando a Coréia do Sul tornou-se líder mundial na construção de navios, inclusive de supertanques e plataformas de petróleo. Nesta época, a construtora líder era a Hyundai, seguida pela Daewoo. Em meados da década de 80, esta indústria sofreu um declínio, porém recuperou-se nos anos 90. Nos dias de hoje, os navios coreanos estão sendo utilizados para substituição da frota mundial, que se encontra desgastada, o que tornou a Coréia do Sul líder atual neste setor.

O que o brasil compra da coreia Fachada da estação de trem na cidade de Yingkou

Cosméticos

Produtos para beleza e maquiagem são destaque no comércio deste país asiático. Os coreanos dão grande importância para a saúde da pele. Os cuidados, que aqui no Ocidente resumem-se às etapas limpar, tonificar e hidratar podem chegar a ter de 7 a 12 passos na Coréia, o que faz com que o país possua uma infinidade de produtos e invista muito em pesquisa e tecnologia neste setor.

Os produtos muitas vezes são focados em ingredientes naturais, considerados únicos por seus criadores. Algumas destas substâncias são: mucina de caracol (substância viscosa que o caracol usa para se locomover), usada em hidratantes; chá verde para controle da oleosidade, pérolas utilizadas em iluminadores e própolis de abelha para nutrição e maciez da pele.

Todos estes cuidados são voltados para se obter a pele mais saudável possível, que não necessite de muitos produtos para esconder manchas e imperfeições, como por exemplo, bases. Assim, esses cosméticos tendem a focar numa aparência mais natural. Somente em 2017, o mercado formado por estas mercadorias faturou mais de 10 bilhões de euros, sendo que os produtos masculinos também são bastante populares e correspondem a quase metade deste valor.

Essa tendência atual, chamada de K-beauty, ganha cada vez mais popularidade no Brasil entre adolescentes e adultos com a influência da música K-pop e das novelas e seriados coreanos, sendo uma ótima oportunidade para investimento dos importadores nacionais.

Além dos produtos citados acima, a Coréia também se destaca na exportação de produtos petrolíferos refinados, aparelhos e materiais utilizados em estúdios fotográficos e aparelhos ópticos.

Podemos concluir que os produtos coreanos aliam alta tecnologia com boa lucratividade.

Aproveite todas as vantagens da comercialização destas mercadorias através da nossa Consultoria de Importação que promove todo o suporte para que suas compras sejam realizadas nos melhores fornecedores, com toda segurança. Venha nos conhecer melhor e faça ótimos negócios!

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para cima